Ingerir menos gordura melhora a saúde? A ciência mostra que não.

Ingerir menos gordura melhora a saúde? A ciência mostra que não.

Reduzir o consumo de gordura na dieta, uma recomendação que se generalizou nos últimos 50 anos, teve uma consequência óbvia – a substituição da gordura por uma maior ingestão de açúcares e hidratos de carbono (HC) em geral.

Em particular, os açúcares refinados, presentes em inúmeros produtos industrializados rotulados de “light”, supostamente mais saudáveis por lhes ter sido retirada ou reduzido o teor de gordura, passaram a integrar a nossa alimentação diária, um pouco por todo o mundo.

Quando analisamos os factos que sucederam essa mudança na nutrição humana, constatamos uma assustadora realidade! Ao contrário de termos assistido à redução de doenças como a obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares, estas tornaram-se epidemias, e passaram a ocupar os primeiros lugares nos rankings das principais causas de morbi-mortalidade mundial.

Esta “aparente contradição” deu lugar nos últimos anos a uma clara e consistente evidência, e estudo após estudo as conclusões são bem reveladoras:

1. A obesidade, a diabetes e as doenças cardiovasculares, têm por base um distúrbio hormonal e não calórico – a hiperestimulação crónica da produção de insulina pelo organismo em resposta a um consumo excessivo de HC e açúcares, particularmente os refinados.1,2,3,4,5 Pelo contrário, uma dieta rica em gordura (particularmente a poli-insaturada) e baixa em HC melhora a sensibilidade à insulina.6,7

2. A evidência mostra que uma dieta Low-carb (baixo teor de HC/açúcar) é mais eficaz na perda de peso e na melhoria de vários biomarcadores de saúde cardiovascular do que uma dieta Low-fat (baixo teor de gordura).8,9,10,11

3. A evidência contraria a hipotética relação entre o consumo total de gordura na dieta e a doença cardiovascular.12,13,14,15

4. A gordura saturada, presente maioritariamente em produtos de origem animal, e que tem sido persistentemente acusada de ser o grande mal da alimentação moderna, parece ter um impacto insignificante ou mesmo neutro nas doenças cardiovasculares.16,17,18

Ou seja, recomendações do tipo: reduza o consumo de gordura na dieta, evite comer mais de 3 ovos por semana, cozinhe com pouca gordura, entre outras, não têm qualquer fundamento científico.

Precisamos de mais informação e menos recomendação!


Pontos Chave

– Não há evidência que comprove a hipotética relação entre a quantidade de gordura na dieta ou o consumo de gordura saturada e a doença cardiovascular.

– Uma dieta Low carb (baixo teor de HC/açúcar e alto teor de gordura) é mais eficaz na perda de peso e na melhoria de vários biomarcadores de saúde cardiovascular do que uma dieta Low fat (baixo teor de gordura e alto teor de HC/açúcar).